CONTADOR DE VISITAS

terça-feira, 30 de abril de 2013

Nietzsche

O falso amor de si mesmo,
transforma a solidão em verdadeira prisão.

Provérbio Turco

Com cinco anos, teu filho é teu ditador;
Com dez, teu escravo;
Com quinze, tua própria imagem;
E depois, o teu amigo ou teu inimigo.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Frases de Francis Bacon

O homem que começa com dúvida acabará
com certezas; mas aquele que começa
com certezas acabará com dúvidas.

A vingança é uma espécie de justiça selvagem.




P.S. terá mais frases....


Kant e Schiller, estética e o belo

Kant e Schiller, estética e o belo



Kant



Kant dizia que o Belo é o que através da faculdade da imaginação apresenta um certo sentimento em relação a um objeto. O Belo é uma referência estética e subjetiva. Estético porque tem como conseqüência em um livre jogo do intelecto e da imaginação. Este senso estético não tem função de conceituar o que é Belo e o que não é Belo. Se não há uma fundamentação, conceito, então ele se apresenta livremente conforme a capacidade de cada indivíduo em absorver a informação subjetiva e dentro desta subjetividade exteriorizar a sua constatação sobre o Belo, mas não terá justificativa para aquilo que acabou de concluir.

Percebemos que o Belo “foge” da conceitualização que somos acostumados a introduzir e encaminhar para um dado procedimento que seria causado pelo próprio intelecto. As faculdades de distinção e ajuizamento não irão contribuir com um conhecimento como esperado quando através delas temos a “sensações” do que é aprazível ou não é aprazível. Por não gerar um conhecimento, não há como conceituá-lo e dizer por que determino tal objeto como Belo.

O juízo de gosto se manifesta em todas pessoas a partir do recebimento da informação do objeto, isto é, a uma concordância entre aqueles que conhecerem o objeto haverá uma universalidade em relação a beleza constatada sobre o objeto.

O juízo de gosto proferido sobre um tal objeto será universalizado, mas não terá uma conceitualização dele, o prazer que ele proporciona é livre de todo interesse e ainda a uma conformidade de fins sem fim.
De tudo isso jorra a primeira definição do belo, e, portanto, a solução da primeira parte do problema relativo, nos seguintes termos: - belo é o que agrada sem interesse – e para melhor esclarecer o valor desta proposição Kant efetua uma indagação sobre as várias modalidades nas quais um prazer pode manifestar-se ligado ao interesse, modalidade que ele reduz às três seguintes: I) ao prazer provocado pelo agradável; II) ao prazer provocado pelo útil; III) ao prazer provocado pelo bom.

Há algumas diferenciações que podem demonstrar uma deliberação sobre um objeto embora aparentemente se possa negá-la.

“agradável é o que apraz aos sentidos na sensação”.

Ao declarar sobre um objeto que este me parece agradável, este então manifesta não mais somente a contemplação do Belo, mas suscita um interesse e ou ainda um desejo pelo objeto em que o indivíduo esta a contemplar.

O agradável apraz e deleita.

No caso do Bom, também há um desligamento daquilo que necessita para que o Belo se mantenha liberto de definições, pois a partir do momento que estamos buscando no Belo uma bondade ou uma não–bondade, estamos procurando uma definição, porque ao procurar essa bondade, encontramos a necessidade de questionar o porquê desta bondade, se é bom é porque há uma definição do porque é bom.

Se bom, então útil, ou ainda, se bom, então bom em si.

Tanto o bom como o agradável, estão ligados ao interesse e a faculdade de apetição ao o objeto.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

ÉTICA A NICÔMACO - LIVRO 6.6 A 13



OS PRIMEIROS PRINCÍPIOS

Dos primeiros princípios derivam o conhecimento cientifico e as conclusões da demonstração. Entoa esse primeiro princípio não pode ser objeto de ciência, arte, sabedoria pratica, sabedoria filosófica, não podendo ser as quais apreende o primeiro princípio, resta apenas ser a razão intuitiva.


SABEDORIA

Ser sábio, não é ser especialista em uma coisa só, mas em todas as coisas, pois a sabedoria entre tudo deve ser o conhecimento perfeito e esse conhecimento perfeito deve se dar na união de razão intuitiva e conhecimento cientifica, tendo assim a possibilidade de saber do que decorre os primeiros princípios.


SABEDORIA PRÁTICA

Mas na sabedoria prática1 a apenas a diferença nesta colocação de conhecimento, pois na sabedoria pratica o sábio é o mesmo sábio, somente é diferente na questão “do que ele sabe” pois pode ser um conhecimento variável de acordo com a sua vida.
É a arte de deliberar bem sobre coisas variáveis, pois só delibera o homem que possui a sabedoria pratica2. Ela também faz parte da ação e deve haver uma deliberação tanto nas praticas universais como particulares, não somente nos caos particulares que fazem mais parte da sua concepção.
Na política é denominada sabedoria política, na sabedoria prática as pessoas buscam o seu bem próprio, então o político julga que todos deveriam agir à sua maneira, talvez seja usada essa forma de governo, diz Aristóteles, porque o homem na comunidade precisa ser “administrado” para que todos tenham, conforme as regras da sociedade, assegurado o seu próprio bem.
A sabedoria prática também se relaciona com o caso particular imediato (percepção).


SABEDORIA FILOSÓFICA3

Já a arte política não pode ser pensada como a sabedoria prática ( como uma forma de conhecimento elevado), pois há apenas uma sabedoria filosófica em relação ao individual e não uma sabedoria filosófica em relação ao coletivo4.


DELIBERAÇÃO

Não é a mesma coisa que investigação, ela se atem a um caso particular da coisa. E a sua natureza de excelência é a deliberação5 correta .


INTELIGÊNCIA

Também não é igual a sabedoria prática, visto que, a inteligência se relaciona com a deliberação e a dúvida, limitando-se a julgar6 enquanto a deliberação é o dever que se deve ou não fazer.


DISCERNIMENTO7

Diz Aristóteles que “é aquele que discrimina corretamente o que é eqüitativo, e o discernimento correto aquele que julga segundo à verdade”8.
Quando possui o discernimento, pudesse dizer que a pessoa atingiu a idade da razão, por que ela passa, com a experiência, a “enxergar” de outra maneira, porque elas possuem a sabedoria prática. O discernimento faz parte da capacidade da julgar corretamente o que a sabedoria prática exige.
Partindo do particular para o universal temos a percepção da sabedoria filosófica. Porque é a partir do particular que temos o eqüitativo (o comum a todas as pessoas) e este tendo uma reta discriminação chegamos ao discernimento.
Logo, o discernimento faz a conjunção em sabedoria filosófica e sabedoria pratica, o que lhe denomina como algo necessário para o bem do homem.


SABEDORIA FILOSÓFICA E SABEDORIA PRÁTICA

É por isso que o indivíduo deveria ter os dois tipos de sabedoria, mas um pouco mais em relação aos casos particulares.
Mas qual a utilidade da sabedoria pratica e da sabedoria filosófica, já que para quem é bom a sabedoria pratica é supérflua e para os maus de nada adianta?
E a sabedoria filosófica não torna o homem mais feliz?


VIRTUDE

As duas são partes da lama e por exemplo na sabedoria filosófica o homem é feliz a pessoas apenas por ela fazer parte de sua alma, enquanto a sabedoria pratica é capaz de nos apontar o certo juntamente com a virtude moral para tornar a escolha certa mas esta ultima não é ela que denomina nossa escolha.


HABILIDADE

É a faculdade que torna possível chegar ao fim desejado, podendo ser bom ou mau, por isso quem possui sabedoria pratica pode ou astuto, logo quem possui sabedoria pratica pode ser mau.


1 Aquilo que lhe é vantajoso ( livro 6- 1141b)
2 apenas o homem que visa calculadamente ao que há de melhor para os homens, naquilo que é atingível pela ação. (livro 6- 1141b 10)
3 é um conhecimento cientifico combinado com a razão intuitiva daquelas coisas que são as mais elevadas por natureza (livro 6-1141b)
4 homem e animais
5 que tende a alcançar um bem (livro 6 – 1142 b 20);
a excelência da deliberação será a correção na deliberação (livro 6 – 1142 b 30)
6 bem e corretamente
7 a faculdade pela qual os homens são “juizes humanos” e que “possuem discernimento” (livro 6 – 1143 a –15)
8 livro 6 - 1143 a -15

quarta-feira, 24 de abril de 2013

RESUMO_O Alienista - Machado de Assis


Este livro foi citado em uma aula de Filosofia, não lembro o porquê, só sei que fiquei muito interessada.
É um pequeno livro, na maioria das vezes é considerado um conto, mas ele está no meu livro que veio duas obras de Machado de Assis (o outro é HELENA).
A obra começa falando de um Médico chamado Simão Bacamarte, homem muito estudioso, que formou-se em Portugal e foi morar em Itaguaí no Brasil, para aplicar seus conhecimentos.
Resolveu fazer uma casa de Orates (para doenças mentais) e tratar o povo de Itaguaí.
O problema é que ele encontrava "problemas" em quase todas as pessoas. 
Chegou a um ponto que, até mesmo sua esposa foi ser tratada na casa verde.
ele achava que todos tinham algum problema mental, algum "defeitinho", então deveriam ser tratados e "trancafiados" na casa verde.
Houve uma revolta na cidade, pois quase todos os habitantes estavam ou faltava pouco para serem levados como doentes.
momento. 
O médico, depois da revolta dos moradores resolveu rever seus conceitos e concluiu que aqueles que não tinha nenhum defeito, nenhum "tic" é que eram doentes, e deveriam ser tratados.
Até mesmo amigos foram apresentados como pacientes.
Não havia mais ninguém que não houvesse passado pela casa de Orates.
Até que...
O médico reformulou novamente seus conceitos e...
Ele mesmo foi ser seu próprio paciente.
Ficou na casa verde, por alguns meses, até sua morte.
Algumas frases interessantes deste livro.

"Um fita o presente, com todas suas lágrimas e saudades, outro devassa o futuro com todas as suas auroras."

"se lhe tinham inveja, era a santa e nobre inveja dos admiradores."

"se eu conhecer quanto se pode saber, e não tiver caridade, não sou nada"

"Simão Bacamarte pegou-lhe na mão e sorriu, - um sorriso tanto ou quanto filosófico, além de conjugal, em que parecia traduzir-se este pensamento: '- Não há remédio certo para as dores da alma; esta senhora definha, porque lhe parece que a não amo: dou-lhe o Rio de Janeiro, e consola-se.' E porque era homem estudioso tomou nota da observação".

Um pouco de FILOSOFIA.

Se pensarmos filosoficamente, este conto nos leva ao questionamento da bioética, pois aqui nesta história a ciência "poderá" estar acima das questões éticas.(Digo poderá, pois teríamos que aprofundar o estudo do caso se real, como se trata de história fictícia, teríamos que obter mais dados para estabelecer se a questão tratada estava coerente com as normas científicas e éticas)
Também a questão da verdade, qual é a verdade? A dos moradores ou a do médico.
Haveria realmente um surto psicótico na cidade? Quando o médico reformulou as causas, ele reviu sua verdade ou corrigiu um erro?




terça-feira, 23 de abril de 2013

RESUMO_Mulherzinhas - Louisa May Alcott - 1868 - título original: Little Women

Então, depois de dois meses, terminei finalmente de ler Mulherzinhas, livro que chegou até mim atráves do filme Adoráveis mulheres.
meu livro

O filme (de 1994) é emocionante, e este sim, posso dizer que é um dos meus filmes preferidos (entre os 10+).
Vi este filme apenas 2 vezes nos anos 90, não sabia que existia o livro, a pouco tempo resolvi pesquisar e descobri que ele havia sido baseado na obra Little Women da americana Louisa May Alcott.
A história acontece durante a Guerra Civil, 4 irmãs moram com sua mãe e uma empregada, mas as duas mais velhas tem de trabalhar fora e as duas mais novas tem que ajudar nos afazeres domésticos, visto que, a situação financeira não permite que elas vivam como todas moças da sociedade, onde a única preocupação são vestidos e bom casamento.
É claro que elas (as irmãs March) também tinham preocupação com um bom casamento, principalmente Meg e Amy, Jo não queria casar, vive e comporta-se como um garoto, sonha em ser uma grande escritora e acha que o casamento das irmãs vai acabar com a felicidade da família.
Louise May Alcott

Beth vive para casa e para a caridade assim como sua mãe, não pensa "nem que sim nem que não", sobre o casamento, não há algo declarado sobre isto, não tem grandes sonhos, tanto que seu sonho (financeiro) é realizado  através de um piano que o vizinho o Sr. Laurence (avô de Laurie) dá de presente a ela.
O pai está na guerra, e as dificuldades são muitas, mas elas são felizes junto da mãe e do melhor amigo Laurie.
Obs: o Filme é um pouco diferente do livro, acredito eu porque há uma continuação Good Wives, talvez o filme tenha usado essa continuação, eu não sei, porque só li Mulherzinhas.

AGORA vou contar o final do filme e do livro, se não quiser saber, pare por aqui.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

CARTA DE PERO VAZ DE CAMINHA


Senhor:

Posto que o Capitão-mor desta vossa frota, e assim os outros capitães escrevam a Vossa Alteza a nova do achamento desta vossa terra nova, que ora nesta navegação se achou, não deixarei também de dar disso minha conta a Vossa Alteza, assim como eu melhor puder, ainda que -- para o bem contar e falar -- o saiba pior que todos fazer.
Tome Vossa Alteza, porém, minha ignorância por boa vontade, e creia bem por certo que, para aformosear nem afear, não porei aqui mais do que aquilo que vi e me pareceu.
Da marinhagem e singraduras do caminho não darei aqui conta a Vossa Alteza, porque o não saberei fazer, e os pilotos devem ter esse cuidado. Portanto, Senhor, do que hei de falar começo e digo:

Ernest Hemingway

Destruído o homem pode ser,
derrotado não.

Escrevi sobre "O sol também se levanta" neste link:clique aqui





https://www.facebook.com/EducacaoPedagogica

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Haruki Murakami

Se você só ler os livros
que todos estão lendo
você só irá pensar o que
todos estão pensando.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

O que fui fazer na faculdade?

Esta pergunta acima é o que eu gostaria que muitos fizessem para si.
E o que eu estou falando aqui, é o que eu observo.
E as perguntas que eu fiz abaixo, foram perguntas que eu fiz pessoalmente a uma pessoa formada e as respostas escritas, foram as que eu ouvi. Fiz as perguntas apenas porque a pessoa havia colado grau em um curso que eu tinha interesse.
.............
Para uma porcentagem expressiva de alunos, a Universidade é apenas mais uma etapa em sua vida, onde nada será acrescentado.
Vão entrar e sair da mesma forma. Gastarão seu tempo e dinheiro à toa.
São 4 anos, mas se entenderam 4 dias os que estavam fazendo lá ...é muito.
São pessoas que você vai perguntar:
O que aprendeu no seu curso?
A resposta vai ser:  Muita coisa!
O que tu mais gostou no teu curso?
R: De tudo!

Às vezes, percebemos que as pessoas sabem mais da novela do que aquilo que está fazendo na faculdade.
Simplesmente não sabem o que fizeram.
Como eles receberam o diploma? Não sei, o principal é a cola...
Eu sempre digo:  "você pode colar, mas se você não aprender aqui, a vida vai te ensinar lá fora e cobrará caro". 

Eu ficaria envergonhada de ganhar um dez colando, mas tem gente que se orgulha, mas cada um tem sua moral, afinal, isso explica muito o ponto que chegou a humanidade.
É triste, porém, eu vejo como muito perigoso.
 
 

O que diz na bandeira do Estado de Minas Gerais? E o que significa?


Esta frase é de origem latina e significa Liberdade ainda que tardia.
Ela foi escolhida no período da Inconfidência Mineira

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Humildade não é para qualquer um.



humildade para saber que não sabe restaurar
fonte da imagem: google.imagens
  Ultimamente não estou concordando da conotação que as pessoas estão dando da palavra "humildade".
Distorcem, querem que você seja humilde, mas essa "certa" " humildade", não é para todos.
Quando querem que VOCÊ seja humilde, significa que você não pode:
*ir a restaurante (com seu próprio dinheiro)

*usar roupas caras (com seu próprio dinheiro)

*maquiar-se (para as mulheres)
Só falta dizer que para ser humilde não pode tomar banho, mas não falta muito...
Agora se for alguém do interessa dessa pessoa tem/deve/pode fazer tudo isso (inclusive com dinheiro alheio), que ainda será considerado a pessoas mais humilde do planeta.
Como diz um velho ditado "pode cumprimentar com o chapéu dos outros".

Dicionário Michaelis: (parece que só o que eu destaquei em amarelo é o humilde que se estabelece
hu.mil.de
adj (lat humile) 1 Que dá aparência de humildade. 2 Modesto, simples, submisso. 3 Baixo, medíocre, obscuro, insignificante. sup abs sint: humildíssimo e humílimo. Var: humildoso, húmile.


Achei essa frase no meio de um livro da Biblioteca da UFPEL
"Não é preciso ser rico para ser nobre, nem pobre para ser humilde. Nobreza e humildade andan juntas, nas atitudes de cada um. Cada uma na sua intensidade.
Fernando S. Pereira
 (foi esse nome que estava escrito no bilhete, se alguém souber que o autor é outro, por favor, me comunique.) 

terça-feira, 16 de abril de 2013

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Albert Einstein

Meço o valor de um homem pela medida em que ele se liberta de seu próprio eu.

sábado, 13 de abril de 2013

Eu amo papelaria

 
Não há muitas papelarias aqui na minha cidade, mas são o suficiente para me fazer gastar a cada momento que passo por elas.


minha agenda 2013
Quando estou andando pela calçada, dá aquela vontade de chegar e ver se tem alguma novidade...uma caneta, um papel bonito, um lápis.
O bom de tudo isso é que eu consigo ficar contente com UM LÁPIS, que não custa muito dinheiro.

canetas e lápis de todos os tipos

A verdade é que apenas um objeto tão simples para muitas pessoas, me faz sentir mais vontade de trabalhar, mais vontade de estudar...acabo transferindo todos meus sonhos de criança para essas coisas fofas...e na verdade meu sonho de criança era quando eu pegava um lápis ou uma caneta e ficava pensando em ser uma boa profissional, uma boa estudante.
Acho que há momentos em que recordamos os nossos desejos de criança, quando ficávamos imaginando como seria e o que faríamos quando fossemos adultos...talvez bailarina, bancário (esse estava em alta na minha época)...
O que eu posso dizer é que a papelaria tem o poder de me fazer sonhar com um mundo encantado, colorido, fofo...perfeito.


tesoura do Pooh

Um abraço

sexta-feira, 12 de abril de 2013

LEITURAS 2013

JANEIRO
1) O palácio de Potala - Tesouros da China
Texto de Paulo Simas
2) Filosofia da Educação - Leonardo Sartori Porto
3) O Alienista - Machado de Assis

FEVEREIRO E MARÇO
4) Helena  - Machado de Assis
Meses dedicados a faculdade.

ABRIL
5) Mulherzinhas (Little Woman) - Louise May Alcott

MAIO
6) Conto de natal - Charles Dickens
7) Simplificando o português, volume 3 - Sérgio Nogueira
8) O poderoso chefão - Mario Puzo

JUNHO
9) O guia do mochileiro das galáxias - Douglas Adams
10) O diário da princesa - Meg Cabot

quinta-feira, 11 de abril de 2013

La Rochefoucauld

As amizades reatadas requerem maiores cuidados, do que aquelas que nunca foram rompidas.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

frases de Confúncio

Saber o que é certo e não fazê-lo é a pior covardia.

É melhor perdoar do que vingar-se, porque à vingança segue-se sempre o arrependimento.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Livros que li + vídeo + descrição #1

Segue abaixo vídeo que eu fiz para mostrar meus livros, e logo em seguida, uma pequena descrição sobre cada um deles.


O retrato de Dorian Gray:
Desta lista que segue, é o que eu mais gostei, pois fiquei surpresa com todos os acontecimentos, trata de narcisismo, beleza, paixão, loucura e até um pouco de terror. Eu escrevi algo a tempos que você pode ler CLICANDO AQUI .
Li que este livro foi influenciado por uma paixão que Oscar Wilde teve por um rapaz e esta paixão o fez perder tudo...
Bom, a descrição do personagem Dorian é semelhante a do rapaz com quem ele teve um relacionamento.

Contos de Shakespeare:
São várias obras teatrais transformadas em contos, o que parece mais acessível a muitas pessoas que não gostam de ler em estilo teatro. Eu realmente gostei, é interessante também para juventude, na verdade, este livro foi uma adaptação para crianças e terminou fazendo sucesso entre os adultos.
Quem fez esta adaptação foram dois irmãos: Lamb. (Está no vídeo)

Voltaire:
Biografia antiga mas um delícia de ler e analisar...analisar que nem todos os filósofos viveram e morreram pobres...Esse amou, viveu bem e com din din.
Podemos dizer que aprontou bastante.

Cinco semanas num balão:
Foi como começou o sucesso de Júlio Verne, comecei a escrever um resumo sobre este livro, mas não terminei. Só sei dizer uma coisa: se você é estudante de Geografia irá se surpreender com tantos detalhes. Mas tem que ser persistente pois o livros começa a ficar bom no terceiro capítulo.

Fernão Capelo Gaivota:
Se você acredita em vida após a morte, poderá relacionar com sua crença. Eu não sei muito sobre Richard Bach, mas dizem que ele é o Paulo Coelho do estrangeiro. Li este livro porque meus professores do primeiro grau sempre recomendavam...mas não gostei muito, talvez eu devesse ter lido quando tinha 10 anos e não 30...

Dudu-de-Puf:
Conhece o ursinho Puff ou Pooh?
É esse mesmo aí.
Os desenhos são lindos (preto e branco) e quem assistiu os desenhos no SBT a alguns anos irá perceber a semelhança das histórias. Apenas os nomes dos personagens são diferentes, p. ex. o Leitão no livro é o Porquito.
Essa minha edição é muito antiga, talvez se existir uma nova eles tenham atualizado.

Diário de um Banana:
É um livro atual e dos mais vendidos.
Fala sobre acontecimentos escolares e em família de um menino não popular.
É interessante. Linguagem facílima para os dias atuais.

Noite:
Como o próprio nome diz, tudo acontece numa noite.
O bom é que você tenha tempo de ler em apenas um dia ou uma noite, porque ele nos deixa com vontade de saber o que realmente aconteceu...mas eu não consegui ler todo de uma vez, tenho muita coisa para fazer...
É um livro para o pessoal acima de 15 anos...ao menos eu acredito...vamos colocar 18 anos...
O autor é nada mais nada menos que Érico Veríssimo.

Longe é um lugar que não existe:
É pequeno, filosófico, bonito (referindo-me as imagens).
Qualquer idade...e é um livro do Richard Bach, o mesmo do Fernão Capelo Gaivota.
Comprei os dois em um só dia, ainda bem, pois se eu tivesse compra somente o Fernão, não teria comprado esse outro que é uma fofura.

Rosinha, minha canoa:
Este livro é bom de ler, trás uma paz, um não sei o que de mato, uma simplicidade ...
Mas ele não continua assim... tudo muda pelo meio do livro.
Te trazendo agonia, raiva, e te fazendo pensar o quanto estão certos ou errados...talvez eu esteja errada...o que os personagens estão fazendo está certo...mas porque eu quero o errado? Porque o José Mauro de Vasconcelos fez um personagem cativante, que mesmo não estando bem, nós o aceitamos...
Abraços

segunda-feira, 8 de abril de 2013

sábado, 6 de abril de 2013

Bertrand Russell

Ter medo de amar é ter medo da vida e os que temem a vida já estão, em boa parte, mortos.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

quarta-feira, 3 de abril de 2013

CHARLES ROLIN

AS ÁRVORES MAIS ALTAS E DE MAIOR FOLHAGEM TÊM MAIS MOTIVOS PARA TEMER O TROVÃO.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...