CONTADOR DE VISITAS

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

RAZÃO X DESEJO



A racionalidade nos dá um artíficio necessário para escapar das "táticas"

do nosso lado emocional, pois a razão é aquela que podemos dizer "a consciência" das decisões que tomamos.

O desejo se manifesta de modo contrário da razão, ele vê no ato o seu querer realizado, não importando-se como isso terá resultado em sua vida. É apenas uma busca da realização do momento, não há avaliação das consequências.



Mas todo ser humano, é dotado de capacidade de raciocinar e todo ser humano não é imune aos desejos que pertence a classe de todos seres vivos: a satisfação das suas vontades.

O que podemos dizer sobre a relação entre razão e desejo é que possuímos a capacidade de harmonizar essas duas atividades de nossa alma, e claro, usando a própria racionalidade.

As descobertas, as mudanças, enfim, todos os fatos que mudaram o mundo através da história está ligado ao desejo, pois é ele que inibe o medo, pois quem quer, quer e não tem medo de enfrentar por estar dominado de um sentimento de liberdade e impulso para realizar as façanhas que muitas vezes nossa razão por ser um medidor e controlador de atos desconhecidos, não permite arriscar em algo que possa ser um risco de midificar o percurso da vida.

A razão nos limita e nos dá a informação de que se algo sair errado, podemos não ter mais a vida que levamos, podemos não ser mais vistos como sempre fomos vistos, ou ainda, podemos estar sendo percebidos como um risco para os costumes da sociedade em que vivemos.

O desejo nos diz que temos de nos modificar, que as coisas não podem continuar da mesma forma e que a monotonia pode ser um cárcere para a alma.

A alma instiga, reage e tenta não se manter presa a dogmas. Mas o que está fora de nós é um dos pontos que intermediam com a razão.

Por fim, temos que entender que querer separar a racionalidade do emocional, do desejar, é um objetivo sem fundamentação concreta, pois ser apenas racional, irá sempre limitar a estabilidade, logo, não acrescentará nada a vida humana, e viver só para satisfazer seus impulsos, seus desejos, também é atirar-se em um precipício, pois é semelhante ao suícidio, onde a perda de consciência e perdas do medo que nos mantém vivos além do que a raça humana costuma viver.

Concluimos que a necessidade de ponderar e moderar nossos atos são necessários tanto para evolução da raça humana, quanto para a preservação da própria espécie.

5 comentários:

  1. o desejo e a razão sempre andam juntos....o desejo é algo q queremos sacia- ló ... quanto mais sentimos desejo mais queremos sacia- ló..

    ResponderExcluir
  2. Uma definição singular e honesta as limitações humanas Linda....Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Josiane Maia, esse foi meu primeiro trabalho de faculdade, da primeira faculdade que eu fiz, foi uma pena, porque eu não tinha experiência e não anotei a bibliografia :( , mas mesmo assim resolvi compartilhar. Um abração

      Excluir
  3. Uma definição singular e honesta as limitações humanas Linda....Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Uma definição perfeita e de peso ao olhar feminino Obrigada!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...