CONTADOR DE VISITAS

sábado, 5 de novembro de 2011

RESUMO "A REVOLUÇÃO DOS BICHOS" GEORGE ORWEL.


TWITTER: @ericamacleo

George Orwell, escritor que fico famosos pelo livro A REVOLUÇÃO DOS BICHOS, na verdade era Eric Blair, George era apenas um pseudônimo. GEORGE ORWELL NASCEU NA ÍNDIA EM 1903.

O livro trata sobre uma granja onde os animais tomam consciência de seu estado de servidão e resolvem se rebelar contra o fazendeiro. Eles conseguem libertar-se do fazendeiro. Mas parece que as coisas não estão tão bem nesta nova sociedade em que todos tem o mesmo direito. Alguns animais tem de trabalhar mais que os outros para manter a granja e o sustento de todos, outros tratam apenas do controle ou pode se dizer da parte intelectual nas decisões do que há de ser feito na fazenda. Os porcos são considerados mais inteligentes, o burro até agora tem passado um ar de quem não concorda e não discorda, os outros animais tem trabalhado muito a não ser o gato e a égua mimosa que gosta muito das "coisas humanas". O lema era "quatro patas bom, duas patas ruim", o que sempre as ovelhas repetiam a cada fim de reuniam ou a cada discussão ou problema. Já no próximo capítulos aparece algumas regalias para os porcos, como por exemplo, de as maçãs e o leite ficarem apenas a disposição deles por que trabalham com a intelectualidade e estudaram que estes alimentos fazem muito vem aos porcos. Os dois porcos que mandam na fazenda é Bola-de-Neve e Napoleão, que sempre descordam, até que um dia Napoleão que havia criado cachorrinhos e que agora estavam grandes e o obedecendo como a um amo, os usou para expulsar Bola-de-Neve da fazenda. Ele se declarou no comando e os animais ficaram supresos com o que havia acontecido "naquela sociedade perfeita" que já haviam vencido e expulsados os homens e agora viam expulsar um membro. Mas seguiram suas vidas, trabalhando cada vez mais. E até mesmo construindo o moinho de vento proposto por Bola de Neve, que foi um dos motivos dele ser expulso por sua ideia não ser considerada sensata. Napoleão disse que "nunca" havia sido contra a ideia do moinho, até a ideia era dele e Bola de Neve a havia roubado. As coisas só pioravam, mais e mais trabalho, menos comida, agora os porcos já negociavam com os homens antes não permitido e tinham mais regalias como a de dormir na casa grande em camas, o que era proibido no início, mas Gargante o porco que era o porta voz, dizia corrigindo: "em camas com lençóis".



quando terminar de ler o livro conto o resto:


Bom terminei o livro a mais de um mês, vou contar resumidamente o final.


Os porcos cada vez mais tinham intimidades com a raça humana e a cada dia se afastavam mais dos animais que trabalavam cada dia mais e não se davam de conta e também não lembravam se estava melhor ou pior que antes. As leis pareciam que mudavam, mas eles também não lembravam de como era antes. Os animais começaram a morrer e nasciam outros que nem conheciam sobre a revolução. Construiram e perderam o moinho várias vezes. Por fim o principal

animal que era Sansão que estava sempre trabalhando mais e mais morreu sem aposentadoria e foi vendido para o abate, mas os porcos disseram que ele foi ao hospital e foi muito bem tratado até seu último suspiro.

Até que um dia os animais resolveram expiar pela janela e viram os porcos sentados a mesa com os homens jogando cartas.

E quando resolveram sair a rua, os porcos andavam sobre duas patas sob o coro das ovelhas que haviam sido um tempo afastadas para decorar o novo lema: "quatro patas bom, duas patas melhor ainda".

Eles estavam tão parecidos com os homens que mal podiam diferenciá-los.

FRASES QUE SE REPETEM NO LIVRO:

Um hino que se chama "BICHOS DA INGLATERRA", que é cantado sempre a cada reunião.

"QUATRO PATAS BOM DUAS PATAS RUINS." fica explicado que as aves consideram também as asas como "patas" e não como braços.

sábado, 16 de julho de 2011

HINDUÍSMO - ÍNDIA - GEOGRAFIA

TWITTER: @ericamacleo

Hoje em dia é muito comum ao escolher onde vamos morar, cuidar de detalhes de como é a região, cidade, bairro e como ela poderá nos favorecer e oferecer em busca de emprego, segurança, estabilidade e tranqüilidade. Os povos antigos começaram a se preocupar com isto a partir do momento em que começaram a abandonar a vida nômade e fixaram-se em locais que pudessem trazer todas as condições que hoje também nos interessam, mas com um pouco mais de técnica.



O homem da antiguidade passando para o sedentarismo começou observar a natureza e por fim ter um olhar de geógrafo, isto é, observou os locais onde desejava viver e que lhe oferecem-se meios de sobrevivência com o clima adequado e terra cultivável. Como tinha poucos recursos o primordial lhe parecia ser a água.



Assim começaram as grandes civilizações, em volta dos rios que lhe provessem água para beber, usar para sua higiene e para irrigar as terras que iriam ser cultivadas.


As mais conhecidas civilizações e que mais estudamos são as egípcias (Rio Nilo), Sumérios (Rio Tigre e Eufrates), mas existe uma civilização que embora seja pouco estudada ou apresentada aos ocidentais e que tem grande importância para historia é a civilização Indiana que começou pelo povo Hindu , hoje conhecido mais por sua religião.



Geografia da Índia



A Índia tem 3,29 milhões de quilômetros quadrados, sendo o 7º maior país de mundo, o 2º mais populoso .



Ao norte encontramos regiões montanhosas que fazem fronteira com a China, Nepal e Butão, essas altas montanhas do norte, que protegem as terras contra as invasões e que tornam habitável, essas montanhas formam barreiras naturais contra ventos secos vindo do Tibet e Ásia Central, evita que a área seja árida e inabitável.



No centro há grandes planícies, que se estende desde o Mar da Arábia até a Baia de Bengala.
Suas fronteiras atuais são:



Ao noroeste: Afeganistão e Paquistão.
Ao leste: Myanmar e Bangladesh.
No sul é área de planalto se projeta ao mar formando uma ponta triangular.
Os rios mais importantes da Índia são o Ganges e o Indo, que banham regiões muito férteis, conhecidas como Pendejab.



O povo



Existe muitos tipos de costumes, crenças e tradições. A maioria dos indianos são hindus. Hindi é a língua nacional. Existem 15 línguas principais e 844 dialetos que são falados em diferentes regiões do país.



Origem do povo Indiano



A origem do povo indiano se deu na região do rio Sindhu (que significa rio), e mais tarde foi chamado pelos Gregos e Persas de Indo. Não se sabe bem ao certo as origens dos primeiros povos que habitaram a Índia, mas o mais velho povo histórico eram os nagas, adoradores de serpente, que ficavam ao norte e ao sul os dravidianos.



As tribos nômades se impressionaram com o grande rio e denominaram sua terra de Hindustão . E Hindus ficou também conhecido o povo que vivia em sua terra.



Isto antes das invasões arianas , que por muito tempo se acreditou ser povo de origem indiana, que influenciou nos costumes.



Mas a invasão ariana se deu em 1600-1500 a.C., a algumas teses dizem que este povo teria vindo da Rússia Meridional, passado pelo Irã e teria penetrado na Índia pelo Vale de Cabul .


As poucas informação se dão por a civilização não ter deixado registros talvez porque usavam materiais com pouca durabilidade como folhas, além disso as civilizações se extinguiu muito cedo.



Os indicativos da origem dos Indo-Arianos também dizem que eles poderiam ter vindo da região em que está localizada a atual Turquia.



A historia do Hinduismo se confunde com a própria historia da Índia, embora se encontre o povo Hindu e seu seguidores também em outros paises .



A formação do povo indiano se deu pela mistura de vários povos, destacando-se 4 grupos principais:
*Dravidianos ;
*Arianos ;
*Povo Montanhês ;
*Povo Mongolóide ;
Esses grupos são originários de povos que habitaram a Índia no período neolítico e foram afastados pelos invasores para as regiões mais remotas.



Cultura Hindu exportada



A cultura foi exportada para paises do leste e o Tibet abandonou inclusive sua própria cultura chinesa para absorver a Hindu.



Já os paises do noroeste tinham sua própria cultura e religião e eram os principais invasores que tinham como interesse divulgar seus princípios.



Os Indo-Arianos ou Arianos



Os arianos não apresentavam as mesmas características dos moradores das primeiras cidades indianas pois eram pastores, gostaram de ataques tinham sacerdotes, reis, guerreiros e desrespeitavam aos povos de pele mais escura. Eles influenciaram muito a Índia com sua linguagem. O centro passou a ser envolta do rio Ganges.



As dominações no sul da Índia só se deram no final do milênio, mas foi menos sua língua, identidades étnicas e a elite política se dividia em arianos e não-arianos.




As primeiras cidades



Acredita-se que a Índia era povoada a 5 milênios, existia clãs de camponeses que foram se organizando em aldeias e logo em cidades que já começavam a usar tijolos (cozidos) e pedras em suas construções e exploravam o cobre e o bronze. As primeiras cidades-estado que deram origem ao povo indiano e hindu foi Mohenjo-Daro e Harappa estabelecendo modos urbanos (como a preocupação com a drenagem da água e o cuidado com os esgotos) e ao mesmo tempo agrária. Possuíam celeiros para com sistema de ventilação e isolamento, da-se a entender que os produtos eram usados como moeda de troca.



Com toda essa infraestrurura, o que parece mais inusitado é a não existência de templos, palácios ou túmulos reais, embora não se saiba muito neste período sobre sua crença e política, nos parece que viviam em regime democrático e a religião talvez não fosse primordial na vida cotidiana, embora apresentava-se grandes piscinas que indicavam talvez os banhos de purificação, além de os selos representarem animais o que pode ser o princípio de algumas divindades.



Isto tudo aconteceu em volta do rio Indo e afluentes (que deu origem ao nome da Índia) até o Ganges



Existiu até 1.500 a.C. e desapareceu, estudiosos verificaram que existia mais de 80 cidades envolta do mar de Omam até o rio Ganges. Provavelmente foram aniquiladas por invasores, pois elas tinham muros o que causa a suspeita de insegurança ou ainda ameaças, ou ainda poderá ter acontecido cheias, epidemias, secas ou tudo isto. Seu desaparecimento não deixou respostas, mas o povo Hindu é a origem do povo Indiano.



Castas




O sistema das castas, que vigorou até o século XIX, era uma pirâmide social, assim dividida:



1º.Os brâmanes: ou sacerdotes, eram educados por mestres brâmane
2º.os xatrias: guerreiros nobres ou magistrados.
3º.os vaixas: agricultores, comerciantes e artesãos
4ºos sudras: encarregados dos trabalhos mais humildes



Os não-bramanicas, a educação era confiada a mestres ambulantes, que ensinavam ao ar livre.



O 1º, 2º e 3º de origem ariana, o 4º origem dos drávidas ou aborígines.



As 4 castas eram separadas e incomunicáveis.



Os chamados intocáveis, ou párias , descendentes de aborígines, estão fora das castas e a separação com eles era rigorosa. Os nayadis não podiam ser vistos por uma classe superior, pois seria contaminado.



As castas foram abolidas oficialmente pela Constituição Indiana de 1950, elas estão desaparecendo por causa da globalização, mas na mentalidade dos indianos ainda é muito presente.



- nascia-se na casta;
- não se mudava de casta;
- podia ser expulso;
- atividade determinada pela casta;
- deveria ser mantida a pureza da casta;
- cuidar para não haver contaminação entre castas

Exemplo de castas:
*primogênito Nambudir poderia casar com até 3 Nambudires.
*os outros Nambudir
- concubinato com Naiar ;
- não podia comer a refeições feitas por esposas Naires;
- não podia tomar banho com os filhos;
*as Naires
- podiam ter vários consorte;
- vivia com sua família;
*as Nambudires
- vivia com a família dos maridos;
- se desligava da sua família;
- não era a única esposa.



A religião Budista



Embora a filosofia da religião budista era livrar-se de tudo na terra, os sucessores de Buda começaram a receber patrocinador de reis para poderem “abençoar” e endossar para que este fosse bem vista. Mesmo com algumas contradições, os budistas levaram sua religião a varios países, pregando a renuncia dos bens materiais, isto é, renunciar ao mundo, e quem o renunciava estava livre das castas, “laços de etnias ou língua”.



O norte continuou com a tradição ariana, não se rendeu ao budismo.



Impérios




Os impérios não se estenderam até o sul e não se tem muita historiografia, provavelmente porque não foi preservada a história anterior a cada mudança de império. O que mais foi preservado foi à literatura religiosa, o menos preservado é a literatura política.



BIBLIOGRAFIA



ARAÚJO, Antoracy Tortorelo. História Antiga e Medieval. Editora do Brasil S/A: São Paulo, 1985
COOK, Michael. Uma Breve História do Homem. Jorge Zahar: Rio de Janeiro 2003
CROUZET, Maurice. História Geral das Civilizações. Volume 2.Bertrand: 1955
DURANT, Will. História da Civilização. Vol 28A. 4ª ed. Companhia Editora Nacional: São Paulo




OBS: NÃO SEI SE ALGUNS DADOS ESTÃO CORRETOS, POIS FOI DIFÍCIL ENCONTRAR INFORMAÇÕES SOBRE O ASSUNTO. SOMENTE TIVE ACESSO A LIVROS MAIS ANTIGOS. MAS ESPERO QUE MESMO ASSIM SEJA DE UTILIDADE.

ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL

TWITTER: @ericamacleo

A organização mundial que temos hoje começou primeiramente em uma formação natural que conhecemos através do estudo da geologia. Mas já na Era Cenozóica, com o aparecimento do homem, tivemos a maior transformação, isto é, a organização dos povos.


O homem procurou se organizar em grupos e esses grupos poderiam ter um ou mais líderes dependendo do número de integrantes. A expansão destes grupos deu origem a divisão em povos que se fixaram em territórios, cada uma destas sociedades constituiu suas leis e costumes estabelecendo assim uma organização política dentro de um Estado.

O homem uniu-se em sociedade, produziu através de seu trabalho, usou a caça, a pesca, a agricultura e aprendeu a trocar aquilo que produzia por aquilo que precisava.


Logo após estabeleceu valor no produto e na sua força de trabalho. Alguns líderes começam a se destacar e liderar “ideias” que logo se tornaram senhores, reis... e que não precisavam vender seus produtos nem seu trabalho, seus liderados faziam por eles.


Com isto foi criado a herança, a sucessão e assim tudo se mantia dentro de famílias ou escolhidos. Esta constante ordem fez com que muitas lutas, guerra e revoluções tenham sido organizadas por aqueles que não concordavam com seus lideres e defendiam mudanças. Não podemos esquecer também dos interesses ideológicos e religiosos, mas principalmente, interesses materiais e “poder”.


O poder fez a maior revolução econômica, estabelecendo assim os feudos, logo o poder econômico influenciou a classe burguesa e o sistema global do capitalismo.
A forma como se apresenta hoje geograficamente os paises, está muito influenciada por aqueles que têm mais poder econômico. As imposições culturais também foram drásticas aos povos colonizados e de grande rentabilidade aos colonizadores.


A organização do espaço mundial é uma das formas mais sistemáticas para entender não somente como a se apresenta geograficamente os Estados mas também como as nações são vistas, como vivem e como se deu sua história.


Estou vendendo meus livros: http://vendomeuslivrosusados.blogspot.com.br/

quinta-feira, 30 de junho de 2011

PLACAS TECTÔNICAS

Convergentes=subducção
vão ao encontro uma da outra. Com a subducção pode a placa ser fundida e formar mais magma e erupções vulcânicas.

Divergentes=movem-se opostamente (separam-se), geralmente acontece nos oceanos, esse afastamento faz com que o magma que está na astenosfera suba e forme cadeias de montanhas no fundo dos oceanos.

Deslocamento Horizontal=há um deslocamento lateral podendo promover terremotos.

LITOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL


TWITTER: @ericamacleo

Quatro províncias geomorfológicas:

Ordenada da mais antiga a mais recente

1ª Escudo Sul-Rio-Grandense=rochas ígneas do pré-cambriano (ex.granito)


2ª Depressão Central=rochas sedimentares (ex.cálcario)


3ª Planalto=rochas basálticas, origem de vulcanismo na Era Mesozóica



4ª Planície Costeira ou Litorânea=sedimentos da Era Cenozóica

SUBDUCÇÃO-GEOLOGIA

É área de convergência das placas tectônicas, onde a placa mais pesada desliza para de baixo da mais leve, saindo da litosfera para astenosfera (liquída).

GEOLOGIA DE PELOTAS - RS

TWITTER: @ericamacleo

NO=rochas
NE=SO=SE= sedimentos - área plana

rochas=granitos e migmatitos
sedimentos=areia e argila

os sedimentos são do período quartenário e pertencem a formação Graxaim, Chuí e Itapoã.

Formação Chuí=para o lado do Capão do Leão
Formação Graxaim=centro de Pelotas
Formação Itapoã=Praia do Laranjal

CAMADA DE DISCORDÂNCIA-GEOLOGIA

Separa rochas extremamente diferentes quanto a idade.

SUPERPOSIÇÃO DAS CAMADAS - GEOLOGIA

É a sequência de superposição das camadas de rochas, isto é, sempre a camada de rocha mais jovem se sobrepõe a mais antiga.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

GEOLOGIA HISTÓRICA- ERAS/PERÍODOS

TWITTER: @ericamacleo

RESUMO DE GEOLOGIA HISTÓRICA

Geologia histórica:

Conceito: é o ramo da geologia que estuda a história pretérita da terra e de seus habitantes.
Para estudar os primeiros sinais de vida sobre a terra devemos estudar as primeiras rochas ou pelo menos as mais antigas que conhecemos.
Um exemplo é o Grand Canyon do Rio Colorado, Estados Unidos.


QUADRO GEOLÓGICO DA HISTÓRIA DA TERRA É DIVIDIDO EM:
ERAS=GRUPOS
PERÍODOS=SISTEMAS
ÉPOCA=SÉRIE

Obs: método para determinação das idades absolutas das rochas mais seguro é o radioativos.

Exemplo: na amostra se verifica a quantidade de He contido junto a amostra e verificar quantas vezes ela é maior do que a quantidade de He gerada num ano.


ERA PRÉ-CAMBRIANA

*São ausentes de fósseis;
* Intervalo de tempo entre 4 e 4,5 bilhões de anos;
* Tempo suficiente para se acumular espessa sucessão de rochas sedimentares, serem movidas, erodidas, etc.

Rochas
* Granitos;
* Rochas metamórficas de várias espécies;
* Nos níveis mais jovens aparecem sedimentos fracamente metamorfizados, embora dobrados e falhados.

Vida
* Não são totalmente negativos;
* Alguns lugares existem materiais carbonosos o que implica na existência de organismos;
* Depósitos de ferro o que apresenta probabilidade de trabalho de bactérias
* A evidência de animais e vegetais;

Clima
Após o resfriamento da terra pode ter:
* Permitido a condensação do vapor d’água;
* A chuva pode ter caído sobre a superfície quente;
* Pode ter sido coberto por densas nuvens;
* Em algumas regiões predominam climas úmidos e quentes;
* Algumas rochas apresentam ser de clima desértico no tempo de sua formação;
* No sul do Canadá apresentam rochas geradas em clima glacial.





ERA PALEOZÓICA

PERIODOS:
* CAMBRIANO
* ORDOVICIANO
* SILURIANO
* DEVONIANO
* CARBONIFERO
* PERMIANO

PERÍODO CAMBRIANO

* 500 milhões de anos;
* O nome deriva de Cambria, nome latino de Gales;
* Esta nas regiões que tem presente arenitos folhos e calcáreos de deposição marinha;
Em menor escala:
* No cambriano inferior tilitos
* No cambriano superior arenitos eólicos


Vida
* Invertebrados marinhos;
* Crustáceos denominados trilobitas mais importantes neste período;
* Menor escala nos mares os branquiopodes;
* Esses dois são 75% do período;
* As plantas são pouco representadas mas existia em abundância pois eram fonte de alimentos dos animais, mas como não tinham partes duras não possibilitaram formação de fósseis;
* Única planta foi uma alga segregada de calcário;
* Não encontrou-se fósseis de peixes, animais vertebrados ou que indicassem vida terrestre;

Clima
* Cambriano inferior – clima glacial pela existência de tilitos;
* Mares quentes por causa de recifes de corais;
* Cambriano superior – em algumas regiões climas desérticos, por causa do arenito, devida a marcas características de abrasão eólica em suas partículas.


PERÍODO ORDOVICIANO
O nome é originário de uma tribo céltica (ordovices) do País de Gales.

Litologia
* Não possui tilitos;
* Rochas vulcânicas: bentonitos e lavas tipo almofadas;

Vida
* Variedade vida marinha, graças a maior parte de invertebrados com partes duras para conservar fóssil;
* Trilobitas chegam ao ápce com 60 cm
* Período dos graptolitos – invertebrados marinnhos constituem fósseis guias.
* Cefalópodes foram os maiores invertebrados;
* Primeiros fósseis (evidências) de animais vertebrados sobre a terra;

Clima
* Quente e invariável;


PERIODO SILURIANO
* Tribo chamada silures oeste da Inglaterra e Pais de Gales

Litologia
* Todos os tipos de rochas sedimentares;
* Espessos depósitos de gesso;

Vida
* Invertebrados descendentes do período ordoviciano;
* Fóssil guia ostracodo e artropodo (escorpião do mar);
* Plantas possivelmente terrestre;
* Fósseis primeiros animais pulmonados, consistindo em escorpiões e centopéias;

Clima
* Quente e uniforme no siluriano inferior e médio;
* Desértico no suliriano superior quando se formaram os depósitos de sal e gesso;

PERIODO DEVONIANO
* Localidade devonishire na Inglaterra;
* Idade dos peixes;

Litologia
* Arenito vermelho;
* Algumas áreas vulcânicas;

Vida
* Nos mares: branquiopodos, trilobitas e cefalopodos
* Trilobitas ornamentados indica o início do declínio destes invertebrados
* Corais abundantes
* Peixes pulmonados, pois podiam viver fora da água
* Tubarões e peixes encoraçados aparecem
* Encouraçamento proteje mas indica extinção
* Gigantismo indica extinção
* Primeira evidência de vertebrado terrestre
* Aparece 1ª florestas

Clima
* Não há evidência de estações definidas
* Presume-se mares quentes por causa de corais

PERÍODO CARBONÍFERO
Nome provem do fato de se situarem neste período os principais depósitos carboníferos do mundo. Carvão

Litologia
* Todos os tipos de sedimentos tanto continetais como marinhos entre eles o carvão.

Vida
* Aparece o productidio
* Muitas florestas e peixes
* Insetos 70 cm
* Raramente répteis
* Anfíbios pequenos

Clima
* Variado
* Desde glacial ate árido
* Quente e úmidos nas regiões pantanosas


PERÍODO PERMIANO
Perma na Rússia

Litologia
* Todos tipos de sedimentares

Vida
* Diminui as plantas
* Três grupos de fósseis: invertebrados marinhos, plantas terrestres e restos de esqueletos de vertebrados terrestres
* Os terrestres são abundantes, mais os répteis, para nós o Mesosssaurus Brasilienses;

Clima
* Mais seco
* Mais variado
* Sem estação definida

Duração
* Cambriano 500mi
* Ordoviciano 425 mi
* Siluriano 360 mi
* Devoniano 325 mi
* Carbonífero -pensilvaneo 225 mi e mississipiano 280 mi
* Permiano 230 mi



ERA MESOZÓICA
* Assim denominada por ser intermediária.
* Era dos répteis
* 200 milhoes de anos
* TRIÁSSICO
* JURÁSSICO
* CRETÁCEO

PERÍODO TRIÁSSICO
* Significa 3 divisões
* Inferior: camadas vermelhas
* Media: folhelhos e calcário marinho
* Superior camadas vermelhadas

Litologia
* Sedimentos marinhos e terrestres
* Predomínio de folhelhos, arenitos e calcário
* Extensos derrames de magma básico
* Basalto e diabasios
* Rochas coloração vermelha
* Em algumas regiões o carvão

Vida
* Mais importante cefalópode (invertebrados marinhos)
* Os mais importantes são os vertebrados: peixe de água doce e répteis que começam a aparecer
* Répteis o dinossauros (plateossauro)
* Abundância répteis aquáticos

Clima
* Clima quente
* Animais de sangue frio sobrevivem em clima quente e desérticos
* Sem estação definida

PERÍODO JURÁSSICO
* Montanhas Juras na europa
* Pai da geologia estratigráfica – Wiilian Smith

Litologia
* Sedimentos de águas rasas
* Arenitos, siltitos, folhelhos e argilitos
* Marcas de ondas

Vida
* Cefalópodos ornamentados
* Répteis alados – Pterossauros
* Insetos variados
* Maiores animais da história da terra
* Mamíferos primitivos tamanho de ratos
* Vegetais semelhantes a palmeiras

Clima
* Quente

PERÍODO CRETÁCEO
* Deriva de creta, calcário terroso na inglaterra

Litologia
* Giz – calcário terroso
* Folhelhos, carvão e, arenitos em menor escala

Vida
* Amonites principais guias
* Répteis ex. tiranossauro
* Mamíferos pequenos se alimentavam de ovos e insetos se adaptaram bem.
* Aparece vegetais com flores mostrando estações definidas

Desaparecimento dos dinossauros
* Mudanças climáticas e físicas
* Aparecimento de animais mais inteligentes
* Enfermidades
* Choque do meteoro

Clima
* Estações alternadas

Revolução Laramiana
* ao fim dos tempos cretáceos corresponde os maiores movimentos orogenéticos (movimentos tectônicos de amplitude mundial que modificaram a crosta terrestre) pós-Criptozóico, os quais afetaram os continentes.

ERA CENOZÓICA
* Vida recente
* 70mi
* Era dos mamíferos

PERÍODO TERCIÁRIO
* Movimentos orogenéticos

Litologia
* Fraca consolidação de seus depósitos por serem jovens
* Sedimentos clásticos marinhos e continentais
* Atividades vulcânicas
* Domos de sal ótima estrutura para armazenar o petróleo

Vida
* Desaparecimento dos dinossauros e aves sem dentes
* Pequenos mamíferos
* Eoceno: evoluiram em tamanho e capacidade mental
* Oligoceno: novos mamíferos e outros em extinção
* Mioceno e plioceno:evolução dos mamíferos como das características de hoje ápice em variedade e tamanho
* Plantas e flores assumem liderança
* Era da moderna flora

Clima
* Temperado
* Alguns lugares possuíam floresta onde hoje é gelo

PERÍODO QUARTENÁRIO

* ÉPOCA PLEISTOCENO
* ÉP.HOLOCENO OU RECENTE
* 1 MI
* Tempo presente
* Hemisfério norte = gelo
* Terremotos
* Vulcanismo

Litologia
* Deposito de origem glacial, fluvial, lacustre, eólica, vulcânica, marinha e aluvial
* hemisfério norte- glaciação – tilíticos e fluvio-glaciais e estágio de inter-glaciação.

Vida
* seleção e evolução natural
* pleistoceno=homem da idade da pedra
* holoceno=homem moderno
* homem de java
* homem de pequim
* homem de neanderthal
* todos desaparecem
* homo-sapiens

clima
* clima segue a marcha do atual com o fim das glaciações

terça-feira, 19 de abril de 2011

FERNANDO PESSOA

O Amor

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de *dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar..

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

CRENÇA X CIÊNCIA

TWITTER: @ericamacleo

INTRODUÇÃO



Desde que o homem começou a pensar, raciocinar ele procurou dar explicação para os acontecimentos naturais da tratando-os como sobrenaturais e conseguiam dar respostas a questões óbvias (como exercendo força se é capaz de quebrar um osso) e foram descobrindo que era possível transformar a natureza e isso seria um princípio de ciência contrapondo a existência de algo muito forte –as crenças– a religiosidade onde as questões são solucionadas de forma simples e sobrenatural onde não há provas (cientificas de que isso e aquilo se forma desta maneira) como na ciência, mas tem a fé de quem acredita e não contesta o que lhe é passado durante séculos.
A religião e a ciência se mantêm firme e andam paralelamente, mas e não juntamente.Pois que a religião sempre tentou e muitas vezes conseguiu inibir pesquisas. Mas porque ela consegue toda essa façanha? Porque tem quem a acredite e a defenda sem se questionar se isto que está fazendo tem algum fundamento e é verdadeiramente benéfico para humanidade.




RELIGIÃO X CIÊNCIA


“No desenvolvimento da cultura humana, não podemos fixar um ponto onde termina o mito e a religião começa. Em todo curso de sua historia, a religião permanece indissoluvelmente ligada a elementos míticos e repassada deles”¹.



A religião começa através dos mitos, e durante séculos continua apresentando os mesmos fatos, dando soluções através de parábolas, histórias mitológicas etc.
Já a ciência para se manter com credibilidade tem que evoluir e provar a todo tempo que está correta, tem que ter inteligência, uma tese convincente e principalmente provar que isso será bom e que não haverá falhas já que os resultados são rápidos e expostos a críticas, e basta uma falha no ato cientifico para maioria ficar descrente.



A RELIGIÃO

“ As religiões não se inculcam à força. Nada existe que seja mantido , tão voluntariamente, como a fé. Toda a via da e o poder da verdadeira religião consiste na intíma e total persuasão do espírito; e a fé não é fé sem crença ... E tal e a natureza da compreensão, que não pode ser compelida à crença de coisa alguma pela força externa. Ninguém nasce membro de uma Igreja qualquer ... mas cada qual adere, espontaneamente, aquela associação em que acredita ter encontrado aquela profissão de fé e o culto que verdadeiramente sejam agradáveis a Deus.”²


Já a religião é usada como uma forma de poder para quem não tem poder. Pois é mais fácil adquirir seguidores pelas perspectivas de um futuro mais feliz, além de não precisar dar garantias.

______________________________________________________________________
¹Cassier, E. antropologia filosófica. São Paulo, Mestre Jou, 1972. P. 143.
²A Historia e a Religião, Arnold Toynbee pág.350


O SEU PRINCÍPIO



“...A conclusão do Padre Schimidt é que a adoração de Deus, que foi trazida à tona pelas religiões superiores, nos últimos tempo, é uma revivescência, não uma inovação, e é , de fato uma revivescência da religião mais remota da Humanidade”.¹



A religião continua sem mudanças, e muito de hoje é espelhado nos gregos antigos, que séculos antes de Cristo, adoravam deuses e deusas que segundo sua crença viviam no Monte Olimpo.As histórias desses deuses influenciaram temas de várias esculturas, pinturas e outras formas de arte, e ainda hoje despertam o interesse pela beleza e forma como esclareciam os fatos pessoais e os fenômenos da natureza.As semelhanças das crenças de ontem e hoje começaram assim: Havia doze grandes deuses o principal era Zeus seguido de muitos outros deuses de importância menor. Os romanos adoravam muitos desses deuses, alguns com nome diferente dos deuses dos gregos, mas com as mesmas qualidades, defeitos e finalidades. Os deuses gregos eram formas idealizadas, mas com os mesmos defeitos e qualidades dos seres humanos, supostamente diferente do Deus cristão de hoje que é “bom”, “onipotente” e “onipresente”. Há alguma diferença entre a adoração dos deuses no passado e a devoção no Deus de hoje?
Hoje vemos na religião cristã uma doutrina dogmática, que tem um princípio de fé indiscutível de doutrina religiosa, na qual há um Deus detentor de poder e um certo controle sobre os homens e a natureza, Ele é eterno, perfeito, criador e preservador do universo, que os cristãos devem seguir, adorar e respeitar acima de tudo. Para manifestar sua devoção e submissão, o devoto deve seguir os mandamentos da igreja ou templo além de “pagar o dízimo”, porque no “juízo final” haverá o julgamento de quem foi correto e quem foi pecador. Mas se Deus é uma forma de total bondade, se os pecadores se arrependerem no “juízo final”, Ele não deverá perdoá-los também?... Já para os gregos antigos, Zeus igualmente possuía o controle do mundo, onde deveriam obedecer às suas leis, pois punia imediatamente todos aqueles que as violavam. Afim de não descontentar Zeus, os homens ofereciam presentes principalmente por temer sua ira.
No passado havia leis, oferendas e punição imediata. Hoje há mandamentos, dízimo e punição futura, embora alguns acreditem em castigo imediato. Os princípios norteadores dessas crenças são semelhantes, pois se respeitadas as leis, o adorador será preterido, assim como seguindo os mandamentos o devoto será salvo, mas ao descontentar aos deuses ou pecar perante Deus (onipresente) será castigado.

______________________________________________________________________
¹A História e a Religião, pág. 42


Outra semelhança é que na Grécia antiga além de Zeus – o principal dos deuses – havia deuses ou divindades menores, que representavam e eram relacionados a fatos da natureza ou do ser humano. Assim como Eros - cupido para os romanos - (filho de Afrodite – Vênus para os romanos – deusa da beleza e do amor) era o deus do amor, que os gregos antigos acreditavam que quando o seu arco disparava flechas, a pessoa que era ferida apaixonaria-se pela primeira pessoa que ela avista-se, com isso os apaixonados não correspondidos tentavam agradar e fazer o possível para que Eros pudesse ajudá-los a conquistar a pessoa amada. Hoje em dia, principalmente na igreja católica, além de Deus há também os Santos que intercedem pelos humanos que a eles recorrem em uma hora difícil ou querem realizar algum desejo, por exemplo, o Santo Antonio e o intercessor perante Deus na causa dos enamorados, os devotos de Santo Antonio dirigem-se a ele para pedir auxílio e obter ou apressar um casamento.
Novamente vemos que tanto para os gregos antigos (adoradores) como para as pessoas de hoje (devotos) a crença em outras divindades e santos além de Zeus e de Deus são constantes e continuas, tanto que para pedir auxílio em relação ao
amor, por exemplo, todos têm um ser em que acreditam ter o poder para ajudá-los no que mais desejam.



A CIÊNCIA



“CIÊNCIA:s.f. 1.Conjunto de conhecimentos sistematizados, relativos a uma ordem de fenômenos. 2. Saber resultante da posse de conhecimentos sobre variados assuntos.3. Estudo sistematizado, técnico, metodizado e com objetivo certo, princípios determinados, etc. 4. Conhecimento; informação.”¹


Após a morte de Alexandre o Grande, na cidade de Alexandria desenvolveu-se um centro de estudos formado por escolas de diversas ciências que atraiu por sete séculos intelectuais interessados pela variedade de ciências.
Mas esses “cientistas” passaram grandes dificuldades para continuar suas pesquisas principalmente no período medieval considerado a “idade da trevas” onde poucos sabiam ler e escrever além dos monges.
Os fiéis pensavam que a terra era plana e se os navegadores se afastassem muito da costa encontrariam mostros no mar e ainda poderiam cair em cataratas sem fundo pela eternidade. Quando um cientistas Galileu Galilei chegou a conclusão que a terra era redonda – por causada da sombra refletida na lua –logo foi perseguido e forçado a declarar que estava errado para não terminar queimado na fogueira da inquisição. E muitas curandeiras que de geração em geração passavam o conhecimento de ervas e plantas foram queimadas acusadas de bruxaria. Hoje em dia


______________________________________________________________________
¹Mini Dicionário Luf

várias pesquisas são proibidas de proceguir pois a igreja recusa-se a aceitar e condena por exemplo a pesquisas com células-tronco de embriões obtidos por fertilização in vitro, para fins de terapia.

CONCLUSÃO

“...Desde o princípio, a fé cristã é sacrifício...”¹



A fé, a crença, a religião exigem sacrifícios que na maioria das vezes os mentores, pastores, padres -que divulgam as ditas leis de Deus –não passaram. Como negar a pesquisa científica e dizer a uma pessoa que está numa cadeira de rodas que a única chance dela voltar a andar vai contra os princípios divinos? Quando ouvimos que devemos ajudar ao próximo, não seria nossa obrigação auxiliar uma pessoa que vive na cadeira de rodas? E que muitas vezes seu maior desejo é andar ou voltar a andar.
O que os líderes religiosos esperam? Estão condenando pessoas doentes a uma vida sem possibilidades. Mas dessa forma, pelo menos, eles não correm o risco dos crentes se darem conta de que nem tudo é preciso ter grande fé, e sim tratamentos, que não é preciso ir a igreja e pagar o dízimo e que a possibilidade de ser feliz pode ser agora e não depois da morte.



“A crença do homem é tão mais importante na vida do mesmo, do que qualquer descoberta científica que venha beneficiá-lo e salvá-lo, pois a religião crendo na vida eterna, o homem dá valor a vida após a morte mesmo não sabendo o que o espera ele acredita mais no que não conhece.”


O modo de viver mudou e muito nestes séculos, a tecnologia, a perspectiva de vida aumentou, as leis mudaram adaptando-se para ser o mais justas possíveis (embora ainda há muito que mudar para se tornar realmente justo a todos), mas a crença do ser humano em mitos e o medo do que irá acontecer caso seu ato não corresponda ao que as “leis divinas” ordenam, assusta e mantêm muitos no caminho supostamente certo. Dessa forma seguindo esse modelo de crença, serão mantidas sob controle e por muito tempo as pessoas que temem contrariar e questionar “Deus” ou qualquer outra divindade. Devemos ser mais dogmáticos do que céticos, e ter a preocupação em buscar respostas além do que nos é passado durante séculos – de que isso é certo e isso é errado – e saber receber e acreditar no que o homem cria e dessa maneira encontrar o caminho para as respostas para o “conhecimento” e para felicidade.




____________________________________________________________________
¹Para Além do Bem e do Mal. Parágrafo 46

Bibliografia:
1.Luft, Celso Pedro.Prof. Barbosa, Francisco de Assis e Pereira, Manuel da cunha; Mini Dicionário Luft; SP; Editora Scipione Ltda; 1991.

2.Aranha, Maria Lúcia de Arruda e Martins, Maria Helena Pires; Filosofando Introdução à Filosofia; SP; Editora Moderna; 1999.

3. Aranha, Maria Lúcia de Arruda e Martins, Maria Helena Pires; Filosofando Introdução à Filosofia. Editora Moderna.3ª edição revista. SP.2003.

4.Toynbee, Arnold. A história e a religião. Editora Fundo de Cultura, 1ª edição. RJ, 1961. Traduzido do original inglês – An Historian’s Approach to Religion. Publicada por Oxford university Press 1956, London, England.

5.Nietzsche, Friedrich. Para Além do Bem e do Mal Prelúdio a uma Filosofia do Futuro.Editora Martim Claret, SP.2004
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...